domingo, 9 de agosto de 2009

Desejo e Perigo - O figurino na construção do personagem.


No cinema, os nossos olhos funcionam como suporte do nosso pensamento, para ter que estruturar nosso “crer, a visão necessita aferrar-se a signos como o vestuário, que fazem coerente o texto fílmico, bem como, falam com os movimentos da câmera e os diálogos dos personagens. A relação do figurino traz para nós espectadores o problema da relação entre imagem e identidade: da identidade visual da imagem em movimento e da identidade corpórea da vida cotidiana, como nos vemos, como nos imaginamos, como nos sonhamos.
O figurino colabora mediando esta construção, dentro do contexto fílmico, o guarda-roupa de um personagem é composto de significantes que com o olhar da câmara associado ao olhar do espectador reconstitui as práticas de sentido cotidianas, reinventa o passado e constrói o futuro.
Assim como a moda, o figurino faz parte do conjunto de elementos que vai esculpindo e modelando os elementos do tempo e espaço: recortando o tempo, se é dia ou noite, se é verão ou inverno, remontando a história, o lugar. O figurino faz um mosaico do personagem.